Rui Car
12/08/2022 11h20 - Atualizado em 12/08/2022 11h22

Após 14 anos de tentativas, mulher engravida de gêmeos e faz chá revelação emocionante; confira fotos e vídeo

Edilaine passou por cinco cirurgias e fez oito inseminações

Assistência Familiar Alto Vale
Fotos: Karol Noriller / Divulgação

Fotos: Karol Noriller / Divulgação

Delta Ativa

O sonho de ser mãe da comerciante Edilaine Bezsi Moreira Moreti, de 40 anos, finalmente pôde ser celebrado no último sábado (06). Grávida de cinco meses dos gêmeos Ana Vitória e Leandro, ela e o companheiro, o comerciante Sérgio Moreti, 45, realizaram um chá revelação emocionante em Brusque.

 

A felicidade é intensificada, pois as tentativas de gravidez aconteceram por 14 anos e sempre encontraram no caminho uma grande barreira, a endometriose. Edilaine passou por cinco cirurgias intensas e oito inseminações artificiais.

 

Para ela, a esperança da maternidade e a fé em Deus a motivaram a nunca desistir. “O chá revelação foi radiante, foi um momento muito mágico. Nós estamos anestesiados até agora. Foi muito bem preparado e merecido após tantos anos de muita luta. Uma surpresa muito grande. Após a ansiedade, esse positivo veio para preencher esse vazio”, comemora.

 

Assista ao vídeo:

 

 

Atualmente, o casal mora em Itapema. Natural de Cascavel (PR), Edilaine viveu em Brusque por muitos anos, onde ainda mantém a família. O planejamento dela é realizar o chá de fraldas e o parto no município, no Imigrantes Hospital e Maternidade.

 

Por mais que muitas vezes era difícil, eu nunca perdi a esperança. Sempre fui buscando incansavelmente, ainda que eu escutava coisas negativas, eu nunca consegui desistir. Sempre pensava em Deus primeiramente, ele sabe os desejos do meu coração”, diz.

 

O chá revelação foi registrado pelas lentes da fotógrafa Karol Noriller, 26. No dia do evento, ela conheceu a história do casal e soube que seria um dia de muita surpresa e emoção.

 

 

Tenho certeza que foi um dia que ficará marcado na memória deles para sempre. Foi um dia muito especial, que eles estavam com os familiares e as pessoas mais próximas. Fiquei muito feliz de poder estar presente e registrar esse momento, dando o meu melhor. Eu apenas registrei o que estava acontecendo, que era o amor, uma união dos dois e uma felicidade sem fim”, comenta.

 

No momento da revelação, a fotógrafa relata que a emoção contagiou a todos, inclusive quem trabalhava no evento. “Com a câmera pronta, eu não me contive e me emocionei junto. Por mais que eu não conhecesse eles antes, me coloquei no lugar. Penso o quanto foi maravilhoso receber a notícia. Foi um momento muito especial”, completa.

 

Início do sonho e a endometriose

 

 

Edilaine e Sérgio se casaram em 2008. No ano seguinte, iniciaram as tentativas de engravidar. Neste caminho, ela conta que o primeiro tratamento em 2011, com cirurgias.

 

Eu já tinha feito duas cirurgias quando era solteira, em relação a endometriose. Em outubro de 2011, estive em São Paulo para fazer uma fertilização in vitro, mas não deu certo. Perdi minha mãe naquelas semanas, tudo aconteceu, foi bem triste. A gravidez não ocorreu”, relembra.

 

A endometriose é uma modificação no funcionamento normal do organismo em que as células do tecido que reveste o útero, o endométrio, ao invés de serem expulsas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar.

 

 

Após sete meses, em 2012, os dois já moravam em Rondônia, onde viveram por cinco anos por conta do trabalho. Na metade daquele ano, ela passou pela terceira cirurgia da endometriose em Cuiabá (MT).

 

Tive que dar um tempinho, fiz a segunda tentativa de fertilização em janeiro de 2013. Ocorreu a gravidez, mas por conta da endometriose e inflamações, ela foi interrompida”, conta.

 

Quase perdi a minha vida

 

Em maio de 2013, o casal retornou para Brusque. “Vim muito doente, tomada de inflamações. Neste ano, até outubro, passei muito mal e tive infecção generalizada”, relembra.

 

Edilaine não sabia o que se passava, a barriga dela estava inchada devido aos hormônios que tomou no tratamento da fertilização. “Virou uma explosão, fiquei muito doente entre maio até final do ano”, continua.

 

A operação cirúrgica ocorreu apenas em março de 2014, sendo a quarta da endometriose. “Quase perdi a minha vida, estava tomada de pus, com infecções em todo o meu corpo. Com um grande abscesso no intestino, ovário e útero”, recorda.

 

O momento foi muito difícil, havia muitas possibilidades da cirurgia dar errado e uma das possibilidades, se ela saísse com vida, era até perder o útero. “Foi quando eu caí nas mãos do ginecologista André Lins e o coloproctologista Paulo Enrique Zecca Coppini. Esses heróis conseguiram me salvar, ele sabiam que eu queria ser mãe”, exalta.

 

Tudo deu certo. Edilaine saiu da operação inteira, mas foi internada e levou tempo até ficar totalmente recuperada.

 

Após dois anos, em 2016, o casal se mudou para Blumenau e Edilaine começou o tratamento de fertilização no município. Foram duas vezes, que não deram certo. Ela fez mais uma em 2017, que também não se concretizou.

 

Em 2018, ela começou a fazer o tratamento para engravidar em Florianópolis, em outra clínica. Nesse meio tempo, até 2019, foram duas tentativas e a endometriose continuou sendo uma barreira. Em 2020, quando ia recomeçar o tratamento, veio a pandemia e parou tudo. Seria um risco muito alto tentar.

 

Sem desistir

 

 

Edilaine aguardou por dois anos. Na metade de 2021, retornou à clínica para mais uma tentativa. De acordo com ela, a médica Kazue Harada Ribeiro fez os exames, mas a endometriose impediu a inseminação.

 

Ela passou para a equipe dela, com a equipe do ginecologista Esdra Camargo e do coloproctologista Eduardo Miguel Schmidt. Em 22 de janeiro deste ano fiz mais uma cirurgia”, conta. “É toda uma pesquisa e preparação, mas eu estava bem ciente que as coisas não estavam bem por conta da endometriose severa”, complementa.

 

Então, ela encarou mais uma cirurgia de grande porte, agora no Hospital Baia Sul, na capital catarinense. Havia riscos de comprometer o intestino e as uretras estavam obstruídas, com risco de serem cortadas.

 

Graças a Deus e aos médicos não precisou cortar, foi feita só a limpeza. Tive uma cirurgia de grande sucesso. Não ficou nada comprometido e tive uma boa recuperação no hospital”, diz aliviada.

 

“Nunca perdi a esperança”

 

 

Após a cirurgia, segundo Edilaine, os médicos falaram para ela correr e fazer o tratamento. Não dava para esperar a endometriose. Em 25 de março, após terem passado 30 dias, iniciou a inseminação com a doutora Kazue e fez a transferência dos embriões.

 

Em 6 de abril, o teste de gravidez deu positivo. “Depois de muita luta, sequelas, choro e perdas. É um sonho ser mãe, me deixa honrada pela minha gravidez e vir esse positivo, em saber que vem dois bebezinhos, me sinto honrada duas vezes. É um milagre de Deus muito grande, só o senhor mesmo para nos surpreender, que me ajudou em todas as vezes que pensei em desistir e me deu esperança”, relata emocionada.

 

Para ela, todas as futuras mães que desejam um dia passar pela gestação e encontram dificuldades no caminho precisam se agarrar na esperança. “Corra atrás, não desista, sempre há esperança. Não importa o tempo e mesmo que seja difícil. Enquanto houver esperança e luz para poder caminhar, não desista”, finaliza.

 

Confira as fotos do chá revelação emocionante:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Luiz Antonello / O Município
Anderle Telhas e Acessórios