Rui Car
29/09/2022 09h53

Conheça Arthur, o “dog dengoso” que virou “2° professor” da UFSC

Cachorro foi adotado por professora do curso de Nutrição que leva o animal em algumas aulas

Assistência Familiar Alto Vale
Fotos: Arquivo Pessoal / Divulgação

Fotos: Arquivo Pessoal / Divulgação

Delta Ativa

Arthur, o ‘dog dengoso’ como é conhecido na internet, é um cachorro caramelo que virou uma espécie de segundo professor na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). Isso porque sua tutora, Marcela Veiros, de 46 anos, nutricionista e professora da universidade, leva o animal em algumas aulas.

 

Ele sempre vem comigo ao CCS (Centro de Ciências da Saúde). Ele entra na sala e deita embaixo da mesa e fica quietinho até a hora de sair. Entra mudo e permanece assim o tempo todo”, conta a professora.

 

Segundo a professora, os estudantes adoram Arthur. Às vezes até querem interagir, mas ele fica quietinho sempre próximo da tutora.

 

Abandono antes da adoção

 

Antes de ser adotado por Marcela, Arthur passou dias difíceis. Dois cachorros com cerca de dois meses foram abandonados no bairro Rio Vermelho, no Norte da Ilha, dentro de uma caixa de papelão. Um deles era Arthur.

 

As crianças estavam brincando na rua, encontraram os cachorrinhos, um caramelo e um preto. Como os vizinhos todos sabem que a minha irmã e cunhada tem vários cachorros e gatos adotados, e estão sempre resgatando e auxiliando os animais abandonados, foram direto procurá-las”, conta a nutricionista.

 

Após divulgação na internet, os cachorrinhos foram finalmente adotados. Chamados de Arthur, o caramelo, e Rodolfo, o preto, duas famílias distintas decidiram ficar com os animais.

 

A família que adotou o Rodolfo (filhote preto) está com ele até hoje. Já a família que adotou o Arthur (filhote caramelo) o devolveu após seis meses, alegando que ele soltava muito pelo. Com isso, o Arthur ficou aguardando por uma nova família em uma hospedagem social, paga por minha irmã e cunhada”, relembra.

 

Arthur quando era filhote – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Marcela não conheceu o Arthur nessa época, nem quando o encontraram abandonado ou foi devolvido. A atual tutora lembra que há “uma grande suspeita” do animal ter sofrido maus-tratos de seus tutores anteriores.

 

Engajadas na causa animal, a nutricionista e sua irmã trabalhavam juntas em algumas feiras de adoção. Foi em uma dessas que Marcela se “apaixonou” por Arthur, em dezembro de 2018.

 

Marcela saindo com Arthur da feira de adoção – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Eu me apaixonei por ele, e fiquei próximo a ele durante a feira, com aquela dúvida – será que adoto o Arthur? A minha dúvida era apenas porque trabalho demais, ficava fora de casa o dia todo e viajava bastante na época. Não queria adotar um cachorro para deixá-lo o tempo todo sozinho, sem atenção e carinho. Mas o meu coração falou mais forte”, diz.

 

Amigos inseparáveis

 

Desde que o adotou a professora universitária conta que ela e o vira-lata caramelo são “amigos inseparáveis”. Os dois fazem tudo juntos. Vão em almoços, ao trabalho, à academia do prédio e até fazem trilhas.

 

Ele é o melhor cachorro que eu poderia ter na vida. Com os cães descobrimos o que é amor de verdade, aquele amor incondicional, aquela parceria real, para todas as horas e momentos”, cita.

 

Marcela e Arthur fazem tudo juntos. Trilha, almoços, passeios e aventuras. – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

O cachorro também estava ao lado da dona quando a professora teve problemas de saúde.

 

Tive um grave problema de hérnia de disco em 2020, sofri com dores absurdas por quase dez meses. Nem toda a medicação conseguia me deixar sem dor. Ele ao meu lado que me manteve com esperança e me deu forças para aguentar tudo o que passei, pois pensava ‘o que será dele sem mim?’”, diz.

 

Acidente e recuperação

 

Em maio deste ano, o cachorrinho passou por um atropelamento. Por sorte, o animal sobreviveu. No entanto, Arthur teve muitas lesões graves pelo corpo. Foi então que Marcela começou a compartilhar a recuperação da cirurgia feita às pressas em um perfil no Instagram.

 

O cachorrinho foi atropelado próximo ao Mercado São Jorge, no bairro Itacorubi. Sua tutora estava no local quando passou mal e desmaiou de repente. Foi então que seu carrinho de compras virou e bateu na lixeira. O animal se assustou e saiu correndo.

 

 

 

Marcela ficou duas horas procurando por Arthur até encontrá-lo por meio de uma mensagem que dizia que o cachorrinho foi encontrado mas tinha sido atropelado em frente à FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). 

 

Sofremos demais com isso, mas as orações e diferentes tratamentos que recebeu, além de meus cuidados 24 horas/dia e muito amor, ele se recuperou quase milagrosamente em menos de dois meses, com todas as feridas fechadas”, relembra.

 

Atualmente, Arthur está totalmente recuperado. Acumula amigos no prédio em que a professora mora, no Itacorubi. Além dos vizinhos, alunos e funcionários de comércio próximos à residência chamam o animal pelo nome.

 

Tutora conta que o animal ficou famoso pelo bairro – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Muitas vezes não sabem quem eu sou, mas sabem quem ele é. Até me perguntam: esse que é o Arthur, né?”, finaliza.

 

Marcela e Arthur se tornaram amigos inseparáveis - Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Após a adoção, Arthur tem uma casa com muito

 

Professora universitária diz que animal é seu melhor amigo - Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Arthur vai junto com Marcela nas aulas na UFSC - Arquivo Pessoal/Divulgação/ND
 
 
 

Arthur dorme tranquilamente após recuperação - Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

 

Fonte: Ana Schoeller / ND+
Anuncie Aqui