Rui Car
24/01/2022 22h42

Morre Katuly, macaco que viveu mais de 20 anos em zoológico de Brusque

O primata da espécie Mandril completaria 25 anos em março; ele chegou com apenas quatro anos de idade no Zoobotânico de Brusque

Assistência Familiar Alto Vale
Katuly morreu de causas naturais e completaria 25 anos no mês de março (Foto: Parque Zoobotânico de Brusque / Divulgação)

Katuly morreu de causas naturais e completaria 25 anos no mês de março (Foto: Parque Zoobotânico de Brusque / Divulgação)

Delta Ativa

Morreu na manhã deste domingo (23), o primata Katuly, que vivia no Zoobotânico de Brusque há mais de 20 anos. O mandril que completaria 25 anos no mês de março morreu de causas naturais no parque.

 

O primata chegou no Zoo com quatro anos de idade, junto com a parceira Karmina que morreu há cerca de cinco anos. Atualmente, Katuly dividia o recinto com sua filha, Katarina.

 

De acordo com o Zoo, o animal estava se alimentando normalmente até o fim da última quinta-feira (20), e começou a passar mal na sexta-feira (21).

 

No fim de semana, a equipe técnica e o tratador responsável supervisionaram o animal, colocando Katuly no soro, com medicações.

 

O diretor do Zoo de Brusque, Carlos Alexandre Reis, lamenta a morte do primata. “Era um animal adorado por todos, mas com o passar dos anos, sentindo a idade chegar, ficava cada vez mais fraco. Com certeza foi dado o nosso melhor, para dar qualidade e um bem-estar até os seus últimos dias”, explica.

 

A espécie Mandrillus Sphinx, mais conhecido como mandril, é um animal que possui uma expectativa de vida de 20 anos. Esta espécie faz parte do imaginário da infância de muitas pessoas. No filme Rei Leão, por exemplo, o Rafiki é um mandril.

 

Os visitantes podem visitar agora a Katarina, a última mandril do parque, fruto de Katuly.

Fonte: ND+
Anderle Telhas e Acessórios