Rui Car
06/06/2023 14h39

Papa Francisco é novamente hospitalizado para realizar exames médicos

Segundo o Vaticano, ida ao hospital já estava programada; saúde do pontífice tem gerado especulações sobre a possibilidade dele renunciar ao cargo

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Alberto Pizzoli / AFP

Foto: Alberto Pizzoli / AFP

Delta Ativa

Papa Francisco voltou ao hospital Gemelli de Roma, nesta terça-feira (6), pouco mais de dois meses depois de sofrer uma bronquite, porém, dessa vez foi para realizar exames médicos de rota. “Esta manhã, o papa Francisco compareceu ao hospital policlínico Gemelli para ser submetido a exames clínicos. Ele retornou ao Vaticano antes do meio-dia”, afirmou o porta-voz da Santa Sé, Matteo Bruni, em um comunicado.

 

De acordo com a imprensa italiana, o pontífice argentino ficou menos de uma hora no hospital Gemelli, onde foi tratado no fim de março por uma infecção respiratória. O papa não tem audiências públicas programadas para as terças-feiras. A audiência geral de quarta-feira no Vaticano foi confirmada, de acordo com agenda oficial. No final de maio, Francisco foi obrigado a ter um dia sem agenda no fim de maio devido a um episódio de febre, que o secretário de Estado do Vaticano atribuiu ao cansaço.

 

De acordo com o jornal ‘La Repubblica’, que citou uma fonte do Vaticano, os exames desta terça-feira estavam programados. Em março, o Vaticano anunciou que o papa compareceu ao mesmo hospital para exames já agendados. Mas depois admitiu que Francisco estava com dificuldades respiratórias e que tinha uma infecção que exigia tratamento com antibiótico. Ele foi diagnosticado com bronquite e permaneceu no hospital durante três noites, antes de retornar ao Vaticano para presidir as cerimônias da Páscoa. Ao ser questionado sobre como estava no momento da alta, o papa respondeu, com um grande sorriso: “Ainda estou vivo”.

 

A saúde do papa é algo que tem preocupado e provoca especulações, principalmente após ele declarou em várias oportunidades que cogitaria renunciar, como fez o antecessor Bento XVI, falecido em dezembro, em caso de estado grave de saúde, mas recentemente afirmou que a ideia não estava em seus planos. No ano passado, ele enfrentou vários problemas. Ele sente dores persistentes no joelho direito, assim como ciática, e sua hospitalização por bronquite provocou uma grande preocupação.

 

O papa declarou há duas semanas, em uma entrevista ao canal Telemundo, que a “pneumonia” foi tratada “a tempo”. Ao falar sobre as dores no joelho que o obrigam a usar uma cadeira de rodas ou a caminhar com a ajuda de uma bengala, Francisco disse estava “muito melhor”. “Já consigo caminhar, o joelho está melhorando. Em alguns dias é mais doloroso, como hoje, e em outros dias não. Mas é parte do desenvolvimento”, explicou.

 

Apesar dos problemas de saúde, Francisco mantém a rotina de viagens. A Santa Sé também divulgou o programa de Francisco para sua próxima viagem ao exterior: Lisboa, de 2 a 6 de agosto, para as Jornadas Mundiais da Juventude. O pontífice, no entanto, reconheceu em julho de 2022, que precisava desacelerar. “Na minha idade e com esta limitação (referência aos problemas no joelho), tenho que me cuidar um pouco para poder servir à Igreja”, declarou.

 

Fonte: Jovem Pan / Com informações da AFP
Justen Celulares