Rui Car
20/01/2023 11h29

Como foi o 1º jogo da história do Atlético Catarinense em casa na elite do futebol de SC

Festa teve mais de 500 torcedores presentes, bateria e muito barulho

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Lucas Gabriel Cardoso / Brusque FC

Foto: Lucas Gabriel Cardoso / Brusque FC

Delta Ativa

O dia 19 de janeiro de 2023 ficará eternizado na – curta – história do Atlético Catarinense. A data marcou a primeira partida do clube em casa disputando a elite do futebol de Santa Catarina.

 

O clube enfrentou o Brusque no Orlando Scarpelli, estádio do Figueirense, onde a Águia Josefense mandará suas partidas na Série A de 2023. No entanto, apesar de não ser realmente o “dono da casa”, a diretoria do clube fez de tudo para o torcedor se “sentir em casa”.

 

Ao passar pelas catracas na entrada, os torcedores já “davam de cara” com camisas do Atlético Catarinense à venda.

 

Camisetas do CAC estavam à venda na entrada dos torcedores

Foto: Ian Sell / ND

 

Apenas o setor das cadeiras cobertas do estádio foi liberado aos mais de 500 torcedores que compareceram ao Orlando Scarpelli. Ainda que as camisetas do jovem time do CAC não fossem maioria, teve até “torcida organizada”, com direito a baterias e muito barulho durante toda a partida.

 

Nas arquibancadas também foi possível observar algumas camisetas do Figueirense. Vale ressaltar que Atlético e Figueirense fizeram um acordo para que sócios do Furacão tivessem desconto na compra do ingresso para apoiar o time de São José.

 

Torcedores do Figueirense também marcaram presença – Foto: Ian Sell/ND

Foto: Ian Sell / ND

 

* O Atlético Catarinense já havia jogado no estádio Orlando Scarpelli na estreia do campeonato, porém, o mandante na ocasião foi o Figueirense.

 

Família reunida

 

Quem teve uma torcida especial na partida foi o lateral-direito Rikelmy, do Atlético Catarinense. Familiares do jogador, todos uniformizados, marcaram presença no Orlando Scarpelli.

 

Acompanho sempre ele nos jogos [Rikelmy]. Torcemos muito pela carreira do garoto. Meu palpite hoje é 2 a 0 com um gol do Rikelmy para fechar com chave de ouro”, disse Helton Luiz, tio do atleta, ao Arena ND+ antes de a bola rolar.

 

Da direita para a esquerda: Helton Luiz, Luan Gabriel, Derik Barbosa, Maria Célia Barbosa, Henrique Caetano e Poliana Caetano, familiares do lateral Rikelmy – Foto: Ian Sell/ND

Da direita para a esquerda: Helton Luiz, Luan Gabriel, Derik Barbosa, Maria Célia Barbosa, Henrique Caetano e Poliana Caetano, familiares do lateral Rikelmy (Foto: Ian Sell / ND)

 

E o jogo?

 

Dentro de campo, o Atlético Catarinense conseguiu fazer um jogo equilibrado com o atual campeão do Estado. As melhores chances da equipe de São José vieram em chutes de fora da área de Andriw e Leleu, além de uma cabeçada de David Batista já na segunda etapa.

 

Pelo lado do Brusque, a equipe parou em defesas de Sidão em ao menos duas oportunidades. Além disso, já na reta final da partida o meia Thiago Alagoano perdeu um pênalti, jogando “para longe” a vitória do Quadricolor.

 

Com o 0 a 0 no placar, o Atlético Catarinense soma seu primeiro ponto na competição. Já o Brusque, chega aos quatro, uma vez que a equipe havia vencido o Barra na estreia da competição.

 

As equipes voltam a campo no domingo (22). O Atlético visita o Camboriú, enquanto o Brusque recebe o Hercílio Luz. As duas partidas acontecem às 19h.

 

Fonte: Ian Sell / ND+
Anuncie Aqui