Rui Car
09/07/2022 10h35

Copa Santa Catarina tem apenas 40% dos clubes aptos à disputa

Competição vai para sua 21ª edição com apenas seis clubes

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Fernando Nascimento / FCF

Foto: Fernando Nascimento / FCF

Delta Ativa

Foi confirmada na última semana as partidas de estreia da Copa Santa Catarina de futebol, competição organizada pela FCF (Federação Catarinense de Futebol) e que premia o campeão com o título, além de uma vaga na Copa do Brasil 2023.

 

Tão logo a confirmação saiu, na última semana, chamou a atenção o número de clubes participantes: apenas seis. Para a edição 2022 foram 14 clubes “aptos” a ingressarem, mas pouco mais de 40% que, de fato, aderiram ao certame.

 

Apesar da possibilidade convidativa de disputar a milionária Copa do Brasil de 2023 e garantir um aporte de, no mínimo, R$ 650 mil, a Copa SC teve baixa adesão.

 

Para se ter uma ideia, em 2021, ano em que o Figueirense foi campeão, foram oito equipes. Um ano anos, em meio ao caos gerado pela pandemia do coronavírus, foram igualmente seis participantes.

 

Também por isso havia uma expectativa para que a competição ganhasse mais participantes em 2022.

 

Regulamento

 

Para começar a Copa Santa Catarina passa diretamente pela edição anterior do Campeonato Catarinense. Os dez primeiros colocados da Série A, mais os quatro primeiros colocados da Segunda divisão, ambos de 2021, foram contemplados com uma vaga na Copa SC.

 

Chapecoense, Brusque, Avaí, Juventus, Marcílio Dias, Próspera, Joinville, Hercílio Luz, Figueirense e Concórdia, pela ordem, os dez primeiros de 2021.

 

Além de Camboriú, Barra, Nação e Carlos Renaux, pela ordem, os quatro primeiros da Série B do Catarinense.

 

Opção dos clubes

 

Originalmente instituído como uma competição de “segunda linha”, o campeonato acaba valendo para dar rodagem a elencos e a própria vaga para a Copa do Brasil.

 

Esses dois critérios, no fim das contas, acabam dizimando possíveis interessados. Ao menos na radiografia dos 14 times de SC aptos a entrarem na competição, a maioria está dividida por não se enquadrarem nessas condições.

 

Acaba sendo pouco viável, do ponto de vista logístico, seja pela oportunidade em outras frentes ou até mesmo falta de recursos”, revelou uma fonte procurada pela reportagem.

 

Tem ainda outro ponto que acaba dividindo as estruturas dos clubes já que a FCF realiza o Catarinense sub-20 na mesma época do ano. Clubes que apostam mais em categorias inferiores como Concórdia e Barra, optam pela competição de base que reserva quatro vagas para a Copa São Paulo de Futebol Júnior, maior torneio de base do País.

 

O que dizem os clubes

 

Seis clubes confirmaram presença na competição e vão iniciar a briga pelo título, e pela vaga na Copa do Brasil 2023, no dia 28 de agosto: Carlos Renaux, Figueirense, Hercílio Luz, Joinville, Marcílio Dias e Nação.

 

No formato de disputa, os seis clubes jogarão entre si em turno e returno. Os quatro primeiros vão para a semifinal, que será disputada em partidas de ida e volta (1º x 4º, 2º x 3º). A final também contará com dois jogos.

 

Avaí e Chapecoense vão entrar na Copa do Brasil pelo ranking da CBF, além de planejarem a presença no Catarinense sub-20. Envolvidos em Séries A e B do Campeonato Brasileiro, entendem “outras prioridades”. Brusque e Camboriú, campeão e vice-campeão do Catarinense 2022 já carimbaram suas respectivas vagas para a edição da Copa do Brasil do ano que vem.

 

O Criciúma, que não tem direito a Copa SC por ter sido rebaixado na edição passada, entra na Copa do Brasil também pelo ranking.

 

Juventus, na Série D do Brasileiro, alega falta de estrutura para comportar mais uma competição. Próspera disputa a Série D e terá que jogar a Segunda Divisão do Catarinense em 2023 depois de ser rebaixado, também não deve ir a competição.

 

Concórdia, em nota, revelou que não pretende entrar na competição. Entre os motivos alegados pelo clube do Oeste estão “o custo de logística, montagem de elenco e em um período no qual os atletas que possuem vínculo com o clube estão com contratos de empréstimo em disputas nacionais nas Séries C e D”.

 

O Barra seguiu linha semelhante. Em contato com a assessoria do clube o presidente, em nota, revelou que o clube entende a importância histórica e relevância do torneio, mas não pretende disputar a competição enquanto não tiver calendário anual.

 

Anos anteriores

 

É importante lembrar que a Copa SC ficou interrompida de 2013 até 2017, ano em que voltou e passou a ofertar a possibilidade e a vaga na Copa do Brasil. Esta será a 21ª edição do campeonato. Confira como foram os anos anteriores:

 

2021 – 8 participantes – Figueirense campeão

2020 – 6 participantes – JEC campeão

2019 – 8 participantes – Brusque campeão

2018 – 12 participantes – Brusque campeão

2017 – 4 participantes – Tubarão campeão

 

Fonte: Diogo de Souza / ND+
Anderle Telhas e Acessórios