Rui Car
21/09/2022 15h53 - Atualizado em 21/09/2022 16h27

Pesquisa Ipec revela confiança de catarinenses na Seleção Brasileira

Estudo também mostra avaliação de torcedores em Santa Catarina sobre o trabalho de Tite

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Arquivo / Lucas Figueiredo / CBF

Foto: Arquivo / Lucas Figueiredo / CBF

Delta Ativa

Santa Catarina está dividida quanto à confiança no desempenho da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2022. Quase quatro em cada dez pessoas no Estado (38%) dizem acreditar que a equipe de Tite tem muitas chances de ser a campeã no Catar. Já outros 40% dos catarinenses afirmam que são poucas as chances do hexacampeonato.

 

Os índices foram identificados por pesquisa Ipec contratada pela NSC Comunicação e, apesar da breve vantagem para os torcedores mais pessimistas, estão tecnicamente empatados, já que o estudo tem margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram ouvidas presencialmente 800 pessoas em 40 municípios catarinenses de 17 a 19 de setembro de 2022. O nível de confiança utilizado é de 95%.

 

Há ainda em Santa Catarina quem diz acreditar que a seleção brasileira não tem chance alguma de levantar a taça no Catar — são 6% dos moradores do Estado. Outros 16% não souberam ou preferiram não responder ao questionamento do Ipec.

 

O levantamento ainda perguntou aos entrevistados sobre o desempenho do técnico Tite à frente da equipe amarela. Também quatro em cada dez catarinenses afirmaram que o trabalho dele é ótimo ou bom (40%). Para 20%, é apenas regular. Os torcedores mais corneteiros, que avaliaram como ruim ou péssimo, somaram 7%. Já 33% das pessoas no Estado não souberam ou preferiram não avaliar a performance do treinador.

 

Mais confiantes

 

Os percentuais de confiança na seleção e de aprovação a Tite são, ironicamente, maiores entre quem sequer era nascido na altura da última conquista de Mundial, em 2002, ou ao menos não era velho o bastante para se lembrar de ter visto o capitão Cafu levantando a taça no Japão: os torcedores com idades entre 16 e 24 anos.

 

Mais da metade dos catarinenses desta faixa etária (51%) diz acreditar que a seleção tem muitas chances de trazer o hexa do Catar, enquanto outros 35% afirmam serem poucas. Ainda entre os mais jovens, só 2% palpitam não haver possibilidade alguma de título e outros 12% não se posicionaram para o levantamento do Ipec.

 

Quanto ao trabalho de Tite, também quase metade dos mais jovens (49%) diz achar ele ótimo ou bom. A título de comparação, esse índice cai para 37% entre os torcedores com idade a partir de 60 anos, que já viram Zagallo, Telê Santana e Felipão, entre outros nomes, no comando da seleção. Ele é ainda menor, de 36%, entre os de 25 a 34 anos.

 

Mais críticos

 

Mulheres e pessoas com maior escolaridade foram os que menos opinaram no estudo, por afirmarem não saber ou apenas por preferirem não se posicionar. No entanto, entre os que falaram à pesquisa, foram também os mais duros na avaliação de Tite.

 

O trabalho do técnico foi considerado ótimo ou bom por apenas 32% das mulheres e das pessoas com ensino superior em Santa Catarina — do primeiro grupo, 45% não fizeram avaliação sobre o treinador, enquanto 44% do segundo deles não palpitaram.

 

No caso da confiança na seleção, as mulheres no Estado mantiveram o tom mais crítico. Apenas 35% delas, contra 41% dos homens, afirmaram que as chances de título em 2022 são muitas. No quesito escolaridade, o grupo do catarinenses que têm até o ensino médio foi o menos otimista, com 35% deles confiantes na conquista no Catar.

 

SC menos confiante

 

A confiança geral de Santa Catarina no título da seleçãoo ficou abaixo da expectativa identificada em todo o país. Em julho deste ano, pesquisa realizada pelo Datafolha mostrou que 54% dos brasileiros apostavam no Brasil como o campeão da Copa.

 
Fonte: Paulo Batistella / Diário Catarinense / NSC Total
Anderle Telhas e Acessórios