Rui Car
27/06/2022 21h13 - Atualizado em 27/06/2022 21h42

Bombeiros combatem princípio de incêndio após morador tentar acender fogão a lenha com gasolina em Taió

Homem sofreu queimaduras na mão e precisou ser atendido

Assistência Familiar Alto Vale
Fotos: Divulgação / CBMSC

Fotos: Divulgação / CBMSC

Delta Ativa

Por volta das 15h30 desta segunda-feira (27), o Corpo de Bombeiros Militar foi acionado para atendimento a um princípio de incêndio em residência na Estrada Geral Ribeirão dos Lobos, em Taió.

 

Quando chegaram no local, os bombeiros constataram que populares faziam controle das chamas com uso de uma mangueira de jardim, sendo que a guarnição então finalizou a extinção do fogo.

 

Segundo repassado aos socorristas, as chamas tiveram início quando o proprietário tentou acender o fogo no fogão a lenha utilizando gasolina, acontecendo a ignição ao recipiente que estava na mão.

 

O proprietário realizou o combate com o uso de água e a mangueira de jardim. O fogo causou estragos no forro da cozinha, em uma cadeira plástica e na porta de entrada da cozinha.

 

A  guarnição realizou curativo na mão do proprietário, que sofreu queimaduras, e fez o rescaldo na cozinha atingida, deixando o local em segurança, retornando a prontidão.

 

Fonte: 15º Batalhão de Bombeiros Militar / Rádio Educadora 90,3 FM


 

Bombeiros alertam para uso fogões à lenha, lareiras e aquecedores

Com a chegada do inverno na manhã da última terça-feira (21) e previsão de queda das temperaturas para os próximos dias, o uso de fogões à lenha, lareiras e aquecedores para manterem os ambientes quentes aumenta muito, especialmente nas casas em regiões mais frias do estado, como o Oeste, Meio-Oeste e Serra. Com isso, aumentam também as chances de incêndios em edificações causados pelo mau uso ou falhas nesses equipamentos. No ano passado, em todo estado ao menos 54 residências foram danificadas por incêndios que começaram em lareiras, fogões à lenha ou aquecedores. Com a chegada do frio, os riscos aumentam.

 

Um levantamento realizado pela Divisão de Perícias do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina comparou as causas de incêndios residenciais entre as estações do ano. Para se ter uma ideia, no outono e inverno, do total de edificações periciadas no estado, os incêndios provocados por falhas em lareiras, fogões à lenha ou aquecedores aumentam em 50% em comparação com as estações mais quentes do ano (primavera e verão). “Ano passado, nos dias mais frios, foram registradas 36 ocorrências de incêndio em residências, provocados por mau uso de fogões à lenha, lareiras ou aquecedores, contra 18 casos registrados nos dias mais quentes,” explica o Major BM Deivid Nivaldo Vidal chefe da Divisão de Perícias do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina.

 

Por isso, pensando em evitar incêndios e vítimas de queimaduras, o Corpo de Bombeiros Militar sugere que as pessoas que possuem fogões à lenha, aquecedores ou lareiras adotem algumas medidas de segurança:

 

Fogões à lenha – lareiras – aquecedores

 

_ Certifique-se que estes estejam instalados em locais seguros da residência, distantes de tubulações a gás, cortinas e móveis.

 

_ Não deixe objetos acumulados sobre lareiras ou próximos aos fogões à lenha, em caso de princípio de incêndio estes materiais servirão como combustível e tendem a alimentar as chamas, propagando o fogo.

 

_ Use material próprio para queimar em lareiras ou fogões à lenha, evitando madeira industrializada ou tratada quimicamente.

 

_ Não permita que crianças alimentem lareiras ou fogões à lenha. Além disso, elas devem manter distância de segurança destes locais.

 

_ No caso específico de lareiras, utilize tela metálica com malha entre 2 e 5 mm para evitar que fagulhas sejam propagadas para fora do local de queima.

 

_ Verifique se a instalação das chaminés está em perfeitas condições e em locais seguros.

 

_ Não coloque lenha em excesso em lareiras e fogões à lenha. Nunca deixe o local sem antes se certificar que o fogo está extinto.

 

_ Sempre mantenha entradas de ar em ambientes com fogo de lareira, fogões e aquecedores. O ar nesses locais precisa ser renovado, evitando risco de morte por intoxicação com monóxido de carbono – CO, ou mesmo por asfixia em razão do consumo de oxigênio do ambiente.

 

_ No caso de aquecedores, somente adquira aparelhos certificados pelo Inmetro. Antes de liga-los, verifique se não há necessidade de realizar algum reparo ou manutenção dos equipamentos.

 

_ Aquecedores a gás precisam ser aprovados junto ao corpo de bombeiros militar (exceção quando instalados em edificações unifamiliares) e instalados por profissionais com responsabilidade técnica.

 

_ Não coloque roupas, utensílios ou objetos sobre os aquecedores.

 

_ É proibido o uso de álcool ou outros combustíveis para queimas em ambientes fechados.

 

Em caso de emergências, acione o Corpo de Bombeiros Militar pelo fone 193.

 

Fonte: Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina


 

Anderle Telhas e Acessórios