Rui Car
17/01/2023 15h06 - Atualizado em 17/01/2023 15h08

Com selo inédito, SC se torna o maior produtor e exportador de codornas da América Latina

Empresa do Oeste catarinense foi a única brasileira a receber a habilitação do Selo SIF do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Assistência Familiar Alto Vale
Imagem ilustrativa (Foto: Divulgação)

Imagem ilustrativa (Foto: Divulgação)

Delta Ativa

Além de ser referência mundial na produção de suínos e aves, Santa Catarina se tornou o maior produtor e exportador de codornas da América Latina. A marca foi atingida pela habilitação de um frigorífico catarinense para a exportação da proteína.

 

A empresa Good Alimentos S.A, na cidade de Coronel Freitas, no Oeste catarinense,  foi a única empresa brasileira a receber a habilitação do Selo SIF (Serviço de Inspeção Federal) do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para exportação de codornas.

 

O frigorífico é líder na América Latina na produção de codornas. Possui uma cadeia produtiva completa, desde a seleção genética das matrizes e incubatório até o abate. Além disso, tem uma unidade integrada em uma área total de 360 mil m².

 

Com uma produção de 17 mil codornas por dia, o frigorífico tem capacidade de ampliar a produção para 25 mil codornas por dia, o que será possível com o início das exportações.

 

Para conceder o Selo SIF, o MAPA realizou uma inspeção e avaliou as condições estruturais, equipamentos e fluxo de processo. O Selo SIF garante que os alimentos possuem um alto padrão de qualidade e confiabilidade desde a origem até o consumidor final.

 

A Good Alimentos deverá destinar metade da sua produção para o mercado externo, que é equivalente a R$ 10 milhões em 2023. As exportações deverão atingir mais de 20 países, incluindo o Oriente Médio, Américas e Ásia onde a empresa Villa Germania Alimentos SA, sua coirmã/coligada, tem participação importante com as proteínas de pato e frango orgânico”, destaca o presidente da Villa Germania e da Good Alimentos, Marcondes Aurélio Moser.

 

Criação de codornas

 

Uma das grandes facilidades da coturnicultura ou criação de codornas é a facilidade do manejo. A ave possui forma semelhante à de uma galinha, mas em proporções menores. Elas são de pequeno porte e têm o corpo camuflado com pigmentação marrom. O peso varia de 120 a 130 gramas.

 

São aves resistentes e se adaptam a diversas condições ambientais, mas se desenvolvem bem melhor em clima estável, com temperatura de 25°C. Não gostam de ventos de sol e quando vivem soltas, tem o hábito de ficarem escondidas.

 

Além de ser produtiva, a ave é fácil de lidar e tem a vantagem de crescer rápido. Mas, para isso, é bom assegurar a procedência dos exemplares, oferecer alimento de qualidade e mantê-los em ambiente limpo e livre de doenças.

 

Fonte: ND+
Anuncie Aqui