Rui Car
29/08/2022 09h13

Jogador é vítima de racismo em SC e leva cartão ao tentar identificar suspeito

Lateral do Marcílio Dias ouviu ofensa racista de torcedor do Joinville durante partida fora de casa

Assistência Familiar Alto Vale
Jogador é vítima de racismo em SC e leva cartão ao tentar identificar suspeito Foto:Marcílio Dias/Divulgação
Delta Ativa

A equipe do Marcílio Dias comunicou que um de seus jogadores foi vítima de racismo em jogo contra o Joinville, na noite deste sábado (27), na abertura da Copa Santa Catarina. Na ocasião, o lateral Victor Guilherme foi xingado de “negão filha da puta” por um torcedor do clube tricolor, que atuava como mandante da partida na Arena Joinville.

 

O fato foi relatado pelo atleta ainda durante o confronto, aos 35 minutos da etapa final, e foi registrado na súmula pelo árbitro Igor da Silva Albuquerque. No documento, ele diz que a equipe de arbitragem não ouviu a agressão verbal e deu sequência ao jogo.

Dez minutos depois, o juiz deu cartão amarelo a Victor Guilherme sob a seguinte justificativa: “Retardar excessivamente a execução de um arremesso lateral ou tiro livre”.

O Marcílio afirma que, naquela altura, o lateral havia conseguido identificar em meio às arquibancadas o torcedor suspeito de racismo, que, anteriormente, havia se escondido após ter proferido as ofensas. O jogador tentou indicar o agressor ao árbitro nesta segunda ocasião, mas acabou punido pela arbitragem, segundo o time visitante.

 

“O Marcílio Dias se solidariza com o atleta Victor Guilherme. O Clube, que leva o nome de um herói nacional negro – neto de escravos – não irá se calar e irá cobrar da Federação Catarinense de Futebol e demais órgãos competentes maior rigor e punições severas a estes fatos completamente lamentáveis e indignantes”, comunicou a equipe.

 

Em comunicado, o Joinville disse lamentar o episódio e repudiar qualquer ato racista. O clube anunciou ainda que seu presidente, Charles Fischer, entrou em contato com o mandatário adversário, Hercílio Tristão, e Victor Guilherme na manhã deste domingo (28), quando se colocou à disposição para apurar o ocorrido e dar suporte ao atleta.

 

“O Joinville é um clube de todos, e tem muito orgulho disso. Na nossa história estão marcas de povos de várias partes do mundo”, escreveu o time tricolor.

 

O Santa também procurou a Federação Catarinense de Futebol (FCF), responsável pelo torneio e por escalar a arbitragem, mas não obteve retorno até então.

 

Também não há indicação de que o agressor tenha sido preso ou ao menos identificado até este momento. A partida terminou empatada em 0 a 0.

Fonte:NSC
Anderle Telhas e Acessórios