Rui Car
25/11/2022 10h42

Mourão condena reunião de Moraes com policiais militares: “Ápice do autoritarismo”

Vice-presidente também comentou sobre a multa do presidente do TSE sobre o Partido Liberal e julgou a ação como "absurda"

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Reprodução / BBC

Foto: Reprodução / BBC

Delta Ativa

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (Republicanos-RS), publicou uma mensagem nas suas redes sociais em que condena o encontro entre os comandantes estaduais das Policias Militares. Nas palavras do senador eleito pelo Rio Grande do Sul, a reunião pode ser considerada o “ápice do autoritarismo”.

 

Some-se a este estado de coisas a foto do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ladeado por alguns comandantes das PMs, materializando o ápice do autoritarismo e ferindo de morte o pacto federativo”, opinou.

 

Mourão também argumentou que é chegada a hora da direita conservadora se organizar para fazer frente à esquerda revolucionária.

 

Necessário é reagir com firmeza, prudência e conhecimento; dentro dos ditames democráticos e constitucionais, para restabelecer o Estado democrático de Direito no Brasil”, considerou.

 

Ao comentar a multa imposta por Moraes sobre a coligação Pelo Bem do Brasil de R$ 22,9 milhões, além do bloqueio do fundo partidário e da inclusão de políticos filiados aos respectivos partidos no inquérito das fake news, o vice-presidente considerou “absurda” o entendimento do magistrado de que houve litigância de má-fé.

 

Na visão de Mourão, há uma “polêmica justificada em função da questão da confiabilidade das urnas eletrônicas e das ações contundentes e exacerbadas do TSE”.

 

O recurso do PL, de acordo com o político, “não dá ao TSE o direito de rejeitá-lo peremptoriamente e extrapolar, mais uma vez, por intermédio de multa absurda e inclusão dos demandantes em inquérito notadamente ilegal”.

 

Fonte: Jovem Pan
Anderle Telhas e Acessórios