Rui Car
21/09/2022 10h07

Santa Catarina já tem 26 cidades com casos de varíola dos macacos; veja a lista

Seis municípios confirmaram infecções pela primeira vez nesta última semana, mostra boletim da Dive/SC

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Freepik / Reprodução

Foto: Freepik / Reprodução

Delta Ativa

A varíola dos macacos já foi detectada em 26 cidades de Santa Catarina até esta terça-feira (20), conforme boletim epidemiológico da Dive/SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado). Seis novas cidades registraram a presença do vírus se comparado à semana anterior.

 

As seguintes cidades confirmaram na última semana, pela primeira vez, pacientes infectados com a Monkeypox: São Bento do Sul, Paulo Lopes, Indaial, Ilhota, Bombinhas, e Barra Velha. Veja a lista completa no fim da matéria.

 

boletim semanal mostra que Santa Catarina já detectou 234 casos do vírus. Há 634 infecções suspeitas que foram descartadas e outras 227 que estão em investigação. O boletim informa que há também 15 “casos prováveis” de varíola dos macacos.

 

Dos casos confirmados, cerca de 92,7% dos pacientes são homens. Ao todo, 77,8% têm idades entre 18 e 40 anos. Nesta segunda-feira (19), a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) aprovou a inclusão do teste para diagnóstico da varíola no rol de procedimentos que devem ter cobertura garantida por planos de saúde privados.

 

Veja a lista de cidades e o número de casos:

 

Florianópolis – 79 casos;

Balneário Camboriú – 35 casos;

Joinville – 27 casos;

Blumenau – 19 casos;

São José – 13 casos;

Palhoça – 12 casos;

Itajaí – 11 casos;

Camboriú – 6 casos;

Brusque – 5 casos;

Gaspar – 3 casos;

Jaraguá do Sul – 3 casos;

São João Batista – 3 casos;

Biguaçu – 2 casos;

Chapecó – 2 casos;

Navegantes – 2 casos;

Tijucas – 2 casos;

Abelardo Luz – 1 caso;

Balneário Piçarras – 1 caso;

Barra Velha – 1 caso;

Bombinhas – 1 caso;

Ilhota – 1 caso;

Indaial – 1 caso;

Leoberto Leal – 1 caso;

Paulo Lopes – 1 caso;

Riqueza – 1 caso; e

São Bento do Sul – 1 caso.

 

Sintomas da varíola dos macacos

 

O paciente com varíola dos macacos pode sentir dor de cabeça, febre, calafrios, dor de garganta, mal-estar, fadiga e aumento dos linfonodos, além de lesões na pele.

 

O vírus pode ser transmitido por meio do contato direto com as lesões, por gotículas respiratórias, fluídos orais ou, ainda, contato com superfícies e objetos contaminados.

 

Apesar de não ser considerada uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), o contato com as lesões durante a relação sexual pode facilitar a transmissão, que ocorre de 48 horas antes do início dos sintomas até o desaparecimento das feridas na pele.

 
Fonte: ND+
Anderle Telhas e Acessórios