Rui Car
11/11/2022 21h20 - Atualizado em 12/11/2022 09h54

Suspeito de crime em Dona Emma ainda não se apresentou à polícia

O vereador suspeito do crime está com mandado de prisão ativo

Assistência Familiar Alto Vale
Amigos do empresário Luciano Mafassoli colocaram cartazes em frente à Câmara de Vereadores de Dona Emma (Foto: Divulgação / Rádio Atitude 87,9 FM)

Amigos do empresário Luciano Mafassoli colocaram cartazes em frente à Câmara de Vereadores de Dona Emma (Foto: Divulgação / Rádio Atitude 87,9 FM)

Delta Ativa

crime que chocou Dona Emma completa uma semana neste sábado (12). Até o momento, o principal suspeito do assassinato do empresário Luciano Mafassoli, 45 anos, durante uma briga de bar por política, o presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Valdir Siqueira, não se apresentou à polícia. Ele está com mandado de prisão ativo.

 

O delegado responsável pela investigação, Juliano Tumitan, afirma que o suspeito deve se apresentar na próxima quarta-feira (16). “Nós estávamos esperando que ele se apresentasse na quarta (9) que é o que ele tinha combinado com um advogado aqui de Presidente Getúlio, só que ele não constituiu esse advogado. Agora, ele constituiu um advogado em Blumenau que já nos contatou para apresentá-lo na quarta-feira da semana que vem para darmos andamento no inquérito”, informou.

 

Tumitan também destacou que o inquérito policial está bastante encaminhado, porém, o advogado do suspeito pediu que duas novas testemunhas fossem ouvidas.

 

O crime

 

Além de Luciano, que morreu no local, o vereador esfaqueou mais duas pessoas. Conforme testemunhas, as três vítimas estavam sentadas no balcão no lado de dentro da lanchonete desde cedo, pois tinham o costume de almoçar no local. O vereador chegou ao bar por volta das 14h de sábado (5) e sentou na parte de fora.

 

Em determinado momento, Valdir foi ao banheiro e, na volta, cumprimentou os três homens, mas apenas dois deles responderam. Já o empresário teria dito que não o cumprimentaria e xingou o vereador, com quem também tinha uma relação de amizade.

 

Os dois homens começaram a brigar e foram para fora. Em seguida, o vereador foi até a sua caminhonete, pegou a faca que estava embaixo do banco do carona e acertou três golpes em Luciano. Os outros dois envolvidos também ficaram machucados, porém sem gravidade.

 

Segundo o inquérito policial, o crime teria motivação política, pois Valdir Siqueira era apoiador de Lula, enquanto Luciano Mafassoli apoiava Bolsonaro. Os dois ainda teriam feito uma aposta e, quem perdesse, deveria pagar uma certa quantia ao outro.

 

Vereador de Dona Emma é suspeito de ter matado homem a facadas por briga política – Foto: Divulgação/Bombeiros Voluntários de Presidente Getúlio/ND

Foto: Divulgação / Bombeiros Voluntários de Presidente Getúlio

 

Quem era a vítima

 

O empresário Luciano Mafassoli, de 45 anos, era proprietário da empresa LS Madeiras. O sócio há 16 anos e amigo, Sidnei Del Senti Fontana, conversou com a reportagem do Tribuna do Povo e destacou que Luciano era uma pessoa boa e que não merecia o que aconteceu.

 

Ele era um cara maravilhoso. Meu sócio, meu amigo, meu irmão. Ele era um pai maravilhoso, um marido exemplar e uma pessoa 100%. Foi uma tragédia, um crime e não precisava disso. Eles eram amigos, não precisava disso. O Luciano não merecia isso. Que Deus o tenha em um bom lugar”, disse Fontana emocionado.

 

Mafassoli deixou um filho de 1 anos e a esposa, que está grávida.

 
Empresário deixou a esposa grávida e filho de um ano – Foto: Divulgação/ND

Foto: Divukgação

 
 
 
Fonte: Raquel Bauer / ND+
Anderle Telhas e Acessórios