Rui Car
02/12/2022 14h52

Copa das polêmicas? Veja cinco protestos de jogadores e torcedores no Mundial do Catar

Jogadores ajoelhados no gramado, com a mão na boca durante a foto e silêncio durante o hino nacional foram imagens que marcaram as primeiras rodadas da competição

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: DFB-Team / Reprodução

Foto: DFB-Team / Reprodução

Delta Ativa

Apesar do colorido das torcidas nos estádios, gols bonitos e algumas “zebras” que passeiam pelos gramados, a Copa do Mundo do Catar está sendo marcada por polêmicas que puderam ser vistas logo nas primeiras rodadas. O país foi escolhido como sede da competição em 2010.

 

Confira algumas polêmicas:

 

Jogadores ingleses ajoelhados no gramado

 

Um dos protestos que chamou atenção dentro de campo foi no jogo entre Inglaterra e Irã, dia 21 de novembro, na estreia das duas seleções na competição.

 

Os atletas ingleses se ajoelharam no gramado, em protesto pela não utilização da braçadeira com a mensagem “Love”, em apoio às causas LGBTQIA+ e contra o preconceito.

 

Meio-campista Declan Rice se ajoelha antes do pontapé inicial da estreia inglesa diante do Irã na Copa do Mundo do Catar 2022 – Foto: Adrian Dennis / AFP

Meio-campista Declan Rice se ajoelha antes do pontapé inicial da estreia inglesa diante do Irã na Copa do Mundo do Catar 2022 (Foto: Adrian Dennis / AFP)

 

Após o veto da FIFA, um grupo de sete seleções europeias (Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Holanda e Suíça) anunciou que seus capitães não usariam as braçadeiras temendo multas e até mesmo sanções esportivas e possíveis problemas disciplinares.

 

Seleção alemã cobre a boca

 

Justamente após esse anúncio de possíveis sanções, os jogadores da seleção alemã protestaram durante a foto oficial do time na estreia na Copa do Mundo diante do Japão no dia 23. Eles cobriram as bocas com as mãos durante a foto.

 

Todos os jogadores alemães que iniciaram o jogo contra o Japão participaram do momento de protesto no estádio Khalifa Internacional – Foto: Ina Fassbender / AFP

Todos os jogadores alemães que iniciaram o jogo contra o Japão participaram do momento de protesto no estádio Khalifa Internacional (Foto: Ina Fassbender / AFP)

 

A atitude foi uma resposta às medidas divulgadas pela FIFA, que proibiram as seleções de se manifestarem durante as partidas. Todos os atletas da Alemanha participaram do gesto. A homossexualidade é ilegal no Catar.

 

Iranianos protestaram na arquibancada e no campo

 

Os jogadores do Irã usaram o espaço do hino nacional na partida contra a Inglaterra, para protestar sobre as condições do país. Os atletas se abraçaram e ficaram em silêncio. Nas arquibancadas, alguns torcedores iranianos vaiaram.

 

Jogadores do Irã ficaram em silêncio durante o hino na partida contra a Inglaterra na estreia da equipe na Copa do Mundo 2022 – Foto: Fadel Senna / AFP

Jogadores do Irã ficaram em silêncio durante o hino na partida contra a Inglaterra na estreia da equipe na Copa do Mundo 2022 (Foto: Fadel Senna / AFP)

 

O Irã passa por um regime teocrático, onde as leis são inspiradas por um ou vários deuses há anos. Recentemente, uma mulher foi morta por utilizar de forma inadequada a hijabi (véu islâmico), o que gerou uma série de protestos pelo país por igualdade de direitos à população feminina.

 

O país protagonizou mais um episódio político em meio à Copa do Mundo. Na vitória por 2 a 0 contra o País de Gales, uma torcedora iraniana foi abordada por seguranças do estádio Ahmad Bin Ali.

 

Ela estava exibindo a camisa da seleção com o nome de Masha Amini, uma jovem de 22 anos que foi detida e morta pela Polícia da Moralidade de Teerã. No estádio, a torcedora que protestou estava acompanhada de um rapaz que empunhava bandeira do país com a mensagem: “Liberdade para as vidas femininas”. Os seguranças presentes no estádio abordaram os dois.

 

 

Invasão de torcedor ao campo em Portugal e Uruguai

 

Na partida final da segunda rodada entre Portugal e Uruguai, pelo grupo H da Copa do Mundo, um torcedor invadiu o gramado do estádio Lusail e protestou com a bandeira nas cores do arco-íris, em apoio à causa LGBTQIA+.

 

Torcedor invadiu o gramado na partida entre Portugal e Uruguai pela segunda rodada do grupo H da Copa do Mundo com uma bandeira do arco-íris – Foto: Odd ANDERSEN / AFP

Torcedor invadiu o gramado na partida entre Portugal e Uruguai pela segunda rodada do grupo H da Copa do Mundo com uma bandeira do arco-íris (Foto: Odd Andersen / AFP)

 

Além da bandeira, a parte de trás da camisa do torcedor destacava a frase “respeito pelas mulheres iranianas”, enquanto na parte da frente estava escrito “salvem a Ucrânia”.

 

O homem foi contido por seguranças e jogou a bandeira no gramado. O item foi retirado do local e recolhido. A Copa no Catar vem sendo muito criticada devido a postura do país, considerada intolerante por muitos.

 

Desde o começo da segunda rodada da fase de grupos, torcedores que quiserem expressar apoio à comunidade LGBTQIA+ com camisetas, bandeiras e símbolos semelhantes não devem mais ser incomodados pelos seguranças. A braçadeira “One Love” continua sendo tabu dentro do gramado.

 

Confusão com a bandeira de Pernambuco

 

Apesar de não se tratar de um protesto, policiais abordaram o jornalista Victor Pereira, que está no Catar para a cobertura do evento, por segurar uma bandeira de Pernambuco. O arco-íris presente na bandeira confundiu os policiais, que acharam se tratar de apoio à causa LGBTQIA+.

 

O brasileiro compartilhou um vídeo nas redes sociais, onde foi possível ver a abordagem dos homens. Em inglês, Victor contou que é um jornalista e repetiu “eu vou te mostrar”.

 

Algumas pessoas presentes no país têm feito protestos em defesa dos direitos das pessoas LGBTQIA+.

 

 

Fonte: ND+
Anuncie Aqui