Rui Car
02/09/2022 15h00

Bebê morre logo após parto e família acusa hospital de negligência

"Tentaram reanimar, reanimar, mas nada resolveu", conta irmão; parto aconteceu na terça-feira (30)

Assistência Familiar Alto Vale
Bebê morre logo após parto e família acusa hospital de negligência Foto:Divulgação
Delta Ativa

A chegada da pequena Aylla Gabrielle, que deveria ser um momento de alegria, foi tomado pela dor e pelo luto. A bebê morreu logo após o parto, na terça-feira (30), no Hospital Nossa Senhora dos Navegantes, Litoral Norte de Santa Catarina.

 

“Está sendo muito difícil, principalmente para minha mãe, ela está sem chão. Até agora não teve coragem de entrar no quartinho dela”, conta o irmão de Aylla, Guilherme da Silva Anjo.

 

 

A mãe da bebê, Nilceia da Silva Batista, foi ao hospital da cidade com muitas dores, no último sábado (27). O prazo para o parto seria, conforme a família, na sexta-feira (26). Quinze dias antes, na última ultrassonografia, a bebê estava bem, conta Guilherme.

 

 

 

No sábado, um exame no hospital mostrou que o coração da pequena já estava mais fraco. A mãe, Nilceia, pediu uma cesárea de emergência, mas, segundo a família, o procedimento foi negado, e os médicos afirmaram que ela deveria esperar até o dia 30, a terça-feira seguinte. “Disseram que teria risco de perder ou a mãe, ou a criança”, conta Guilherme.

 

 

Nilceia recebeu alta médica, com orientações de esperar até terça-feira, mas, conta Guilherme, “minha mãe sentiu dor o final de semana todo”. Na terça logo pela manhã, a mãe já estava no hospital. “Ela ficou das 7h às 14h sem atendimento, com dor”, afirma o filho.

 

 

A equipe do hospital ainda optou pelo parto normal, mesmo sob pedidos de Nilceia e do marido. No parto, os médicos verificaram que o coração de Aylla já estava mais fraco ainda. “Deu só para cortar o cordão umbilical, mas o coraçãozinho dela parou. Eu acredito que foi muita força que ela fez para nascer”, conta Guilherme.

 

 

“Se tivesse feito cesárea, ela poderia ser salva. Tentaram reanimar, reanimar, mas nada resolveu”, lamenta Guilherme. O laudo final dos médicos é de que Aylla morreu por asfixia, enrolada no cordão umbilical. A família considera que a morte trágica foi causada por negligência da equipe.

Fonte: ND+
Anderle Telhas e Acessórios