Rui Car
17/11/2022 09h57

Pai condenado por estuprar filha em Rio do Sul pode recorrer em liberdade, decide Justiça

Menina teria começado a ser violentada aos 6 anos e crimes persistiram por quase uma década

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Arquivo / Rafaela Correa / Diário do Alto Vale

Foto: Arquivo / Rafaela Correa / Diário do Alto Vale

Delta Ativa

Um morador de Rio do Sul foi condenado a 38 anos de prisão por estupro de vulnerável. A vítima é a própria filha dele. Os crimes teriam começado quando a menina tinha seis anos e duraram por quase uma década, segundo denúncia do Ministério Público.

 

O pai nunca foi preso e pode recorrer em liberdade, conforme decisão judicial. A sentença foi publicada em outubro, porém veio à tona apenas neste mês.

 

O caso foi descoberto no fim de 2020, quando a garota, já uma adolescente, contou sobre os abusos ao namorado. A situação chegou à mãe dela, que se separou do homem e procurou a polícia. No começo de 2021, o Ministério Público se manifestou pela prisão do pai.

 

À época, a Vara Criminal de Rio do Sul não acatou o pedido de prisão, mas estabeleceu medidas cautelares.

 

Agora, para poder recorrer em liberdade, as determinações da Justiça são de que o pai não faça contato de forma alguma com a filha e mantenha pelo menos 50 metros de distância dela. O homem, que atua na área da saúde no Alto Vale, também está proibido de ficar em ambientes exclusivamente destinados para menores de 18 anos.

 

Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, o homem poderá recorrer em liberdade pela ausência de motivos ou requisitos para prisão preventiva, de acordo com os artigos 312 e 313 do Código do Processo Penal.

 

Fonte: Talita Catie / Jornal de Santa Catarina / NSC Total
Anderle Telhas e Acessórios