Rui Car
19/09/2022 16h21

Pela 1ª vez, Santa Catarina tem mais casas com celular do que com TV

Popularização dos celulares e predominância dos aparelhos em SC foi registrada pela última PNAD Contínua, realizada pelo IBGE

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: Pixabay

Foto: Pixabay

Delta Ativa

Em 2021, casas com celulares passaram a ser mais comuns do que aquelas com TVs em Santa Catarina, mostra a nova Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgada nesta sexta-feira (16) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

 

O telefone móvel está presente em 97,3% dos domicílios, enquanto a televisão pode ser encontrada em 97,2% das casas no Estado, detalha o levantamento realizado desde 2016. Apesar da diferença ser pequena (0,1%), esta é a primeira vez que os celulares ‘superam’ as televisões.

 

Antes da pandemia, todas as PNADs documentavam a dominação dos televisores no Estado. Na pesquisa anterior, realizada em 2019, as televisões eram encontradas em 97.4% das casas – a presença dos aparelhos vem diminuindo gradualmente em Santa Catarina.

 

Já os celulares se popularizaram ano após ano. Em 2016 os aparelhos móveis eram encontrados em 94,1% das casas em Santa Catarina, passando para 95,4 (2017), 95,9 (2018) e 96,5 (2019), segundo os levantamentos anteriores.

 

Internet alcança 93% das casas

 

Cerca de 92,9% da casas catarinenses têm acesso à internet, mostra o estudo. O acesso ao serviço é realizado principalmente por celular. Pouco mais da metade das casas (51,8%) têm acesso a microcomputador ou tablet.

 

Segundo o Portal R7, o acesso dos lares brasileiros à internet cresceu 6 pontos percentuais em dois anos e passou a fazer parte da rotina de 90% das famílias brasileiras em 2021.

 

O avanço mais acentuado no número de domicílios em todo o Brasil no intervalo entre 2019 e 2021 ocorreu na zona rural. No período, o percentual de domicílios em que a internet era utilizada passou de 57,8% para 74,7%.

 
 
Fonte: Felipe Bottamedi / ND+
Anderle Telhas e Acessórios