Rui Car
24/01/2023 10h49

Santa Catarina registra recorde de transplantes em 2022

Estado atingiu 44,8 doadores efetivos por milhão de população, nos casos de morte encefálica

Assistência Familiar Alto Vale
Foto: SES / Divulgação

Foto: SES / Divulgação

Delta Ativa

Santa Catarina teve o seu melhor desempenho da história nos transplantes, com 1.521 procedimentos em 2022, aponta a SES (Secretaria de Estado da Saúde).

 

Além disso, a SC Transplantes registrou 728 notificações de potenciais doadores no último ano, sendo que 329 foram doadores efetivos, 35 a mais do que em 2021.

 

A secretária de Estado da Saúde, Carmen Zanotto, destaca que a evolução desses índices é motivo de grande orgulho para o Estado e consolida a reputação de postura solidária da população catarinense.

 

O serviço de captação de órgãos, coordenado pelo SC Transplantes, nos últimos 20 anos se transformou numa Política de Estado e ela tem dado essa performance para Santa Catarina entre os estados que mais capta órgãos do país e também transplanta. Isso é importante porque cada rim captado e transplantado é um paciente que deixa de estar na máquina de hemodiálise três vezes por semana passando a ter qualidade de vida”, complementa a secretária.

 

Referência em taxas de doação de órgãos no Brasil e na América Latina, Santa Catarina também chegou a superar índices da Espanha, voz ativa e país líder em doação de órgãos há 30 anos.

 

Em 2022, Santa Catarina atingiu 44,8 doadores efetivos por milhão de população, nos casos de morte encefálica.

 

A pandemia impactou diretamente nas doações de órgãos e transplantes realizados em Santa Catarina, assim como em todo país. Com muito trabalho e dedicação estamos nos recuperando. Pela 14ª vez nos últimos 18 anos o estado está na liderança no ranking nacional de doadores de órgãos para transplantes”, conta o coordenador estadual da SC Transplantes, Joel de Andrade.

 

Ainda de acordo com o coordenador, a atuação das equipes profissionais pelo Estado foram fundamentais para os ótimos resultados alcançados.

 

A não autorização das famílias chegou a 27,4%, o que é surpreendente para o período pós pandemia. É preciso lembrar que em 2007 havia 70% de não autorização familiar e, após intensos processos de treinamento, estes números reduziram consideravelmente. Ainda que sejam resultados excelentes, segue o desafio de aprimorar a educação e a habilidade dos coordenadores hospitalares de transplantes para melhorar ainda mais estes resultados”, reforça Joel de Andrade.

 

Nas duas décadas de atuação da SC Transplantes, foram realizados mais de 20,6 mil transplantes de órgãos e tecidos. Os órgãos mais transplantados em todos esses anos foram córnea (9.341), rim de doador falecido (4.026), esclera (1.883) e fígado (1.867).

 

Há 65 instituições hospitalares de Santa Catarina que integram o Sistema Estadual de Doação. Os serviços de transplantes estão distribuídos em 28 estabelecimentos de saúde, sendo que parte deles realiza o transplante de mais de um órgão.

 

Em 2022, o SC Transplantes recebeu reconhecimento da ONT (Organização Nacional de Transplantes) da Espanha, estrutura líder mundial na atividade de doação e transplantes nas três últimas décadas, por meio de sua diretora-geral Beatriz Dominguez Gil.

 

Também em novembro, o médico Joel de Andrade foi vencedor da 5º edição do Prêmio Espírito Público, na categoria Pessoas que Transformam, eixo setorial Saúde, pelo excelente trabalho todos esses anos na coordenação do SC Transplantes.

 

Unidades de destaque

 

O Hospital Santa Isabel, de Blumenau, referência em transplantes, realizou no ano passado 284 procedimentos. Seu serviço de transplante hepático figurou como um dos mais ativos no Brasil.

 

Na série histórica desde 1980, a unidade do Vale do Itajaí acumula 2.102 transplantes de rins, 1.641 de fígado, 177 de córneas, 138 de pâncreas e 70 transplantes cardíacos.

 

Como o transplante é decorrente da doação é fundamental reconhecer a competência dos melhores hospitais doadores catarinenses.

 

Em primeiro lugar o Hospital Governador Celso Ramos (Florianópolis), unidade própria da SES, com 38 doações; seguido do Hospital Santa Isabel (Blumenau) com 31 doações; e Hospital Regional Homero de Miranda Gomes(São José) com 31 doações, também sob gestão da SES.

 

Fonte: ND+
Anuncie Aqui